a voar na noite

Uma forma de evitar que as calças fiquem presas à corrente da bicicleta é usar umas braçadeiras. E que tal arranjar umas com muito estilo?

Estas braçadeiras além de todo o seu estilo, são também seguras pois são feitas em PVC reflector tornando o ciclista visível ao final do dia e à noite .

Design de Gijs Bakker e pode ser comprado aqui.


Forkless Cruisier Bike

E um vídeo de um passeio no parque com a bicicleta de Olli:

Mais info aqui: Olli Erkkila


estacionar no Porto

Este é um mapa colaborativo em que a comunidade pode (e deve) assinalar os locais no Porto (e não só) onde é possível estacionar os veículos não motorizados de duas rodas. Parece-me muito útil :)


Monster Bike

Reinventar a roda é um grande desafio mas reinventar a maneira que a usamos é bem mais divertido e viável, e divertir-se experimentando é ainda melhor. Mesmo que não seja muito funcional, essa Monsterbike é genial.

via It’sGreenDesign


para o meu amigo Zé

Happy Birthday


Bicla-acrobata

You could argue that Danny MacAskill has most seven-year-olds’ dream job: he spends much of the day messing about doing tricks on his bike. Plus he gets paid for it.

Until a couple of years ago, the 25-year-old Scot worked, very happily, in an Edinburgh bike shop. Then a video shot by his flatmate showing MacAskill performing a series of gravity- (and sense-) defying cycle stunts on the city’s streets – most notably, a head-high leap before pedalling nonchalantly along a set of spiked-fence railings – was uploaded to YouTube. It has now been viewed almost 24m times, thanks in part to enthusiastic tweeting from Lance Armstrong. MacAskill has acquired a flotilla of sponsors and a globe-trotting job showing off his skills at public displays, on television and – occasionally – for advertisements. And despite the dare-devil nature of his stunts, he’s had remarkably few injuries, although he has broken his collarbone three times.

With a new film to promote showing the effort involved in planning his stunts – MacAskill’s work is always beautifully shot, with a far gentler pace than you would normally expect for a video of bike tricks – I have been summoned to the concrete walkways of London’s South Bank to meet MacAskill and, his PR people breathlessly promise, “learn a few of his tricks”. This is a daunting prospect. I come armed with not just a helmet but industrial-strength elbow and knee pads, borrowed from a mountain-biking colleague.

MacAskill, who has honed his stunts for several hours a day over many years, gamely tries his best. I briefly scoot about on his low-slung stunt machine – made specially for him a couple of years ago after he snapped “between 30 and 40 frames” learning his trade – performing the sort of beginner’s bunny hop he was doing as a kid. In contrast, he leaps effortlessly over the urban infrastructure, landing casually on a front wheel, or bouncing gracefully along a flight of steps. It’s much like a bike-borne version of the urban running- and-leaping sport parkour.

The paradox is that all this was learned in a rural idyll, the village of Dunvegan on the Isle of Skye in Scotland, where MacAskill was raised by a pair of seemingly indulgent parents. He returns to the Hebrides regularly, riding between friends’ houses on the island on a mountain bike. Even then, he says, he can’t resist the occasional trick: “A big skid is my favourite. It always looks cool, particularly if you end it with a good finger point.”

• Danny MacAskill’s new film, MacAskill Conquers, can be seen at on theRed Bull website

via GUARDIAN.CO.UK


Love is a CYCLE


Malu de bicicleta



enamorado

© Adriana Carvalho, ilustração em aguarela para diário poético com frase de J. G. de Araújo


BICYCLE RACE


17 MARÇO

O Bicycle Film Festival exibe filmes e vídeos documentários que promovam e apoiem a cultura da bicicleta em todas as suas formas. Os filmes deverão ter duração inferior a 10 minutos e não terem ainda sido publicados online (YouTube, Vimeo, etc.).

Vamos lá concorrer!!

via Bicycle Film Festival


Douro Bike

Está para breve a abertura de uma nova loja na cidade do Porto. Uma loja com bicicletas eléctricas, citadinas e de transporte.

Falamos da DouroBike que em Fevereiro abre as portas mesmo em frente ao mar, na Rua Coronel Raúl Peres nº 100, em plena Foz do Porto.


acessoriza-te


O melhor dos acessórios para ti e para a tua bicicleta na CycleChic.co.uk

 


espalhar amor

De longe parece um pneu comum mas se olharmos com atenção vemos os pequenos corações em relevo que, quando passam pela água, lama ou tinta, deixam um rastro de amor pelas ruas. © design by Hamed Kohan


crazy concepts

ver mais em wired


a ciclista

© ilustração de Guilherme Caldas


Belleville Rendez-Vous

Ora aqui está um filme de animação que recomendo: para VER e REVER! (espreitem o trailer no Youtube)

“Só num mundo de animação paralelo é que uma velhota portuguesa – Madame Souza – podia ser a heroína de uma longa-metragem. E que longa-metragem! «Belleville Rendez-Vous» passa-se parte numa França parada nos anos 50, e outra parte numa Nova Iorque francófona, onde os líderes da Mafia usam boné com o smoking, têm o nariz vermelho de beber vinho e fazem contrabando de ciclistas da Volta à França de um lado do Atlântico para o outro; e onde cantoras trigémeas, grandes no passado mas esquecidas no presente, sobrevivem com uma dieta de rãs – na sopa, no espeto, em gelado com pauzinho – caçadas à granada.

Sylvain Chomet, o realizador de «Belleville Rendez-Vous», veio da banda desenhada para a animação. Após dar nas vistas e ganhar vários prémios com a curta «La Vieille Dame e les Pigeons», em 1998, entra de rompante na longa-metragem, com um filme que foi nomeado para o Óscar da categoria, ao lado de «À Procura de Nemo» e «Kenai e Koda», ambos da Disney, e para o da Melhor Canção. Aliás, entre várias outras coisas, o filme é um prodígio sonoro e musical. Chomet mandou os diálogos dar uma volta e arrimou-se à música e aos ruídos, associando-os a um estilo visual que contempla o patusco, o caricatural e o onírico rétro. Se Madame Souza saiu de uma aldeia portuguesa, o neto Champion e os gags ciclistas saíram de um filme de Jacques Tati.

Admirador de Tati e de Funès, das criaturas de plasticina de Nick Park, da anarquia esfuziante de Tex Avery e da comédia muda americana, Sylvan Chomet pegou em todas estas influências, e acrescentou-lhes algumas recordações de infância, o seu amor pelas bicicletas e o gosto da expressão gráfica arrevesada trazido da BD. Depois, juntou uma vasta equipa arrebanhada a vários países europeus, combinou animação tradicional e digital e criou um filme animado que é mais do que a soma fácil e habilidosa de todos estes elementos. «Belleville Rendez-Vous» é um encontro com o indescritível, onde Madame Souza enfrenta a Mafia e ganha.”

in Diário de Notícias a 25 de Março de 2004



na diagonal

© fotografia de Sebastian Miquel


horsey

horsey is an attachable bicycle ornament/accessory which makes one’s bicycle look horsey! the ‘horsey’ package includes wooden ornaments (horsey shape body), metal parts, and screws. the manual is very simple so that anyone can easily arrange it according to one’s needs. through this ‘horsey’ project I wanted to give a special look to bicycles so that people would care about cycling not only as transportation but also as a lovely pet.” (designer’s own words)

‘horsey’ by Eungi Kim from Korea is one of the shortlisted design entries from more than 3000 participants  in a designboom competition, ‘seoul cycle design competition 2010‘, organized in collaboration with seoul design foundation.

via designboom.com


Bicycle Nations

“When traveling in Europe a refreshing sight was the way people got around. Yes, there are cars and motor cycles but what was most astonishing is the amount of bicycles on the road. And what’s even more surprising is the way they dress while riding bikes. Here in the US we see avid riders in sportswear. But in Europe, Amsterdam especially, it is common to see women in dress and heeled boots zigzagging around town like it’s a fashion statement. So I dedicated this post to thousands of bicycles and the people who embrace this way of getting around.” Desi Baytan


© photos by Desi Baytan


ferrugem

 

Como a velhice, com pó e ferrugem, pode ser tão encantadora!

fotografia © Michel Bricteux


rumo ao trabalho

ilustração © Iban Barrenetxea


pedalando atarefada


Pedalando atarefada a Dona Bicicleta lá segue o seu rumo.

Ilustração © Robert Dunn


aventura


Levados pela aventura os quatro amigos descem a montanha a pedalar.

ilustração © Mónica Carretero


Soneto em 2 rodas

Santo Pedro manda pra todos um recado
que só consegue ouvir quem está molhado.
É pra se ter de ouvido:
“Você tá vivo, menino!”

Chame a chuva pra chinfra; vem a chuva,
e o cheiro de chuva em chamas chamusca.
Chove em Quixotes
uma chuva-chicote.

Montados em suas magrelas
(que tratam como donzelas)
encontram-se seres humanos.

Cicloquixotes que chovem sozinhos
enfrentando gigantes-moinhos
voando ligeiro, anjos urbanos.

“Soneto em duas Rodas” de Felipe Fontes & ilustração de Valdinei Calvento


Bike & Natal

No Natal as ruas e as casas enchem-se de luz… e porque não as bicicletas?

ideia original de Shelby Tanner


Bike & Typography

Write a bike by Juri Zaech.

 




Bike & Merrell

A nova campanha da marca Merrell para Portugal também utilizou a bicicleta nas suas sessões fotográficas transmitindo assim um look descontraído mas sempre com muito estilo!!


no Porto não faz frio

Quem disse que hoje estava frio para pedalar no Porto? Hum… depois de verem esta foto repensem lá isso!!

pedalar_no frio

via Copenhage CycleChic


iPod bicycle

até os mais recentes gadgets recorrem ao glamour e “alegria” das bicicletas para se promoverem! http://www.apple.com/ipodtouch/


Bike & Shopping


bicicleta no metro

 

by Matt Taylor


bicicleta na cidade

Estas ilustrações fazem parte de uma série de originais (edição limitada de 250 exemplares) do estúdio de design britânico ilovedust.


bicicletada no Porto

As bicicletadas são promovida pela Massa Crítica, e no Porto realizam-se todas as últimas sexta-feiras do mês.

Apareçam e divulguem!


cicloficina

A Cicloficina do Porto é uma iniciativa independente, não integrada noutro projecto nem da responsabilidade de nenhuma entidade pública ou privada, é apenas um esforço de cidadãos que se juntam com o propósito de ajudar a resolver eventuais avarias ou problemas em bicicletas que são usadas quotidianamente, ou muito frequentemente, pelos seus donos.

Todas as Quinta-feiras véspera da penúltima sexta-feira do mês, das 18h30 às 20h, na Casa Viva (Praça do Marquês de Pombal, nº 167). Se a porta estiver fechada, usem o batente por favor.

http://cicloficina.wordpress.com/


Cycle Chic Manifesto

We’ve been discussing for ages the composing of a manifesto regarding Cycling Chic. We coined the phrase, after all, so we thought it necessary to highlight what it’s all about. As ever, with a hint of seriousness, a splash of poetry and a dash of playfulness.

With that said, we present to you The Copenhagen Cycle Chic Manifesto.

  • I choose to cycle chic and, at every opportunity, I will choose Style over Speed;
  • I embrace my responsibility to contribute visually to a more aesthetically pleasing urban landscape;
  • I am aware that my mere prescence in said urban landscape will inspire others without me being labelled as a ‘bicycle activist’;
  • I will ride with grace, elegance and dignity. – I will choose a bicycle that reflects my personality and style;
  • I will, however, regard my bicycle as transport and as a mere supplement to my own personal style. Allowing my bike to upstage me is unacceptable;
  • I will endeavour to ensure that the total value of my clothes always exceeds that of my bicycle;
  • I will accessorize in accordance with the standards of a bicycle culture and acquire, where possible, a chain guard, kickstand, skirt guard, fenders, bell and basket;
  • I will respect the traffic laws;
  • I will refrain from wearing and owning any form of ‘cycle wear’. The only exception being a bicycle helmet;
  • If I choose to exercise my freedom of personal choice and wear one.

in CopenhageCycleChic.com